Coleta de células-tronco de cordão umbilical para salvar criança na Maternidade de Maricá-RJ, gerida pela Associação Mahatma Gandhi

September 9, 2020

 

 

 

No mês de agosto foi registrado no Hospital Municipal Conde Modesto Leal, em Maricá-RJ,  parte de uma corrida pela vida de uma criança de 2 anos com hipoplasia de medula (doença hematológica grave). A equipe da Maternidade do hospital, gerida pela Associação Mahatma Gandhi e a Secretaria Municipal de Saúde, realizou uma cesariana eletiva na paciente de 21 anos, com a finalidade de colher células-tronco do cordão umbilical do bebê, para a tentativa de um transplante no menino com hipoplasia de medula óssea. Por serem irmãos, a probabilidade de compatibilidade no transplante é ainda maior. O material colhido está em análise no Instituto Nacional de Câncer (INCA).

 

A mobilização e organização para cirurgia reuniu, durante dois meses, profissionais de toda rede de Saúde da cidade de Maricá (Atenção Primária à Saúde, o laboratório Dr. Francisco Rimolo Neto e a Rede de Urgência e Emergência, com a Maternidade do Hospital Municipal Conde Modesto Leal), além do INCA.

 

A cesariana foi feita pela ginecologista obstetra Cláudia Rogéria de Lima que realizou no ato a coleta do sangue do cordão umbilical utilizando técnica específica, já o acondicionamento para o transporte correto pela biomédica Danielle Figueiredo e a médica de família Alessandra Andrade que acompanhou o pré-natal. Além disso, a cirurgia também contou com o auxílio do médico Marco Appolinário, com o médico Ricardo Santana na anestesia e com a médica neonatologista Andrea Faro assegurando a saúde da recém-nascida nos seus primeiro minutos de vida, e as enfermeiras Celeide Baptista, Lenice Silva, Geoginha de Souza e Luiza Meira, enfermeira coordenadora do centro cirúrgico.

 

“Auxiliamos a medicina a buscar a cura de um pequenino com hipoplasia de medula óssea através de coleta de células-tronco do cordão umbilical de sua irmãzinha. Nascida para salvar. As células-tronco podem ser adquiridas de embriões ou do cordão umbilical que nesta são consideradas células tronco adultas primitivas e não esbarram nas questões éticas. Tem a possibilidade de originarem células sanguíneas”, explicou a ginecologista obstetra Cláudia Rogéria, que também é a médica coordenadora da Maternidade do HMCML.

 

A médica Cláudia Rogéria ainda destacou que as células-tronco do cordão umbilical da irmã tem a chance maior de compatibilidade ao serem transplantadas no irmão. Por isso, a equipe teve cuidado de agendar a cesariana e unir uma equipe capacitada para a coleta.

 

A diretora administrativa da Associação Mahatma Gandhi em Maricá, Larissa Cordeiro, comemorou a realização do procedimento na unidade e parabenizou a equipe que poderá ajudar ainda mais pessoas com o tipo de serviço. 

 

“É uma emoção muito grande ver uma equipe capacitada e tão empenhada numa missão de amor à vida. Na verdade, todos os dias eles lutam por vidas. Minha gratidão a todos pela união e competência. Agora vamos ficar na expectativa do resultado da análise e continuar na torcida”, lembrou Larissa. 

 

Texto e fotos: Ayra Rosa/ Ascom Mahatma Gandhi Maricá 

(Com exceção da foto da cirurgia)

 

 

 

 

 

Please reload

Recentes
Please reload

  • Facebook Social Icon

© Copyright Associação Mahatma Gandhi 2016 - Todos os direitos reservados