Gerido pela Associação Mahatma Gandhi, Hospital Conde Modesto Leal, de Maricá-RJ, completa 84 anos

.

O Hospital Municipal Conde Modesto Leal está celebrando, no mês de dezembro, seus 84 anos de história na saúde de Maricá-RJ e apoio no atendimento dos munícipes das regiões Leste Fluminense e Costa do Sol. A unidade de saúde, que é gerida pela Associação Mahatma Gandhi - Complexo Maricá, atualmente, conta com 105 leitos e serviços 24 horas em emergência, trauma, pediatria e maternidade. Em relação às internações totais, foram de 3.920, que saltaram de 396 em janeiro para 442 em setembro. No mesmo período, foram feitos 854 partos. Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, os atendimentos continuam sendo realizados. O número de atendimentos de janeiro a setembro de 2020 foi de 69.726. É possível perceber uma queda comparando janeiro, com 13.698 atendimentos, e maio, com 4.451, justificada pelo isolamento social e precaução dos moradores para irem às unidades de saúde. No entanto, a procura começa a subir no período de junho a setembro, mês com 6.989 atendimentos. O total de procedimentos de urgência e emergência de janeiro a setembro foi de 1.116 – entre cirurgias ginecológicas, cesárea, vascular, ortopédica, geral, bucomaxilo, parto normal e wintercuretagem. Os procedimentos eletivos, como cirurgias geral, dermatológica, torácica, plástica, cabeça e pescoço, urologista e ginecologista, somam 596. Foram realizados 945 exames, de janeiro a setembro – entre eles estão videohisteroscopia, colposcopia, colonoscopia, endoscopia, além dos exames da clínica da dor. Para o diretor médico, responsável técnico pelo Hospital, Glauco Pontes, a equipe assumiu, nesta pandemia, o maior desafio: seguir atendendo todas as demandas, como crianças com queixas abdominais, viroses, partos e acidentados, conciliando com a chegada de pacientes com Covid-19. “Estivemos a postos e sempre preocupados com a segurança dos nossos profissionais, com EPIs, e dos pacientes, organizando os fluxos de passagem e salas. Foi uma tarefa árdua, que fomos aprendendo aos poucos, corrigindo os erros e estamos conseguindo sair desse momento com a sensação de que fizemos um bom trabalho. Alguns procedimentos considerados eletivos pelo Ministério da Saúde, que não têm gravidade, não põe em risco a vida do paciente e não compromete a saúde dele no futuro foram inicialmente suspensos e estão retornando de forma gradual para que não houvesse o aumento significativo de contágio pela Covid- 19”, assegura o médico. É importante destacar que hoje o Conde possui sete leitos com respiradores e cinco de enfermaria para o caso de receber pacientes com Covid-19 em estado grave e que não têm condições de serem transferidos. No início da pandemia, eram 15 leitos para Covid-19 com respiradores e cinco de enfermaria. Com o suporte do Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, esse número pode diminuir. "É muito gratificante para nós da Associação Mahatma Gandhi fazer parte desse hospital que tem uma responsabilidade muito grande na cidade e região. Contamos com uma equipe de profissionais que trabalham duro prezando pela qualidade na saúde. Nossa gratidão e parabéns a todos que escreveram e escrevem história no Conde", destacou a diretora administrativa da Associação Mahatma Gandhi - Complexo Maricá, Larissa Cordeiro. Reformas e ampliações


Algumas obras foram realizadas na unidade neste ano, como a ampliação do trauma, que está toda equipada. Antes possuía três leitos e atualmente tem capacidade para 10, além da reforma da sala de sutura, no mesmo período. A sala de atendimento da ortopedia está com obras de ampliação e adequação em andamento. Além dessas, há previsão também de ampliação e reconstrução da pediatria, que se tornará um espaço completo para atendimento, internação e ambiente totalmente humanizado e acolhedor. A nova pediatria será transferida para o espaço do antigo Centro de Diagnóstico e Tratamento do município. O local hoje acolhe setores de apoio da unidade. O novo espaço contará com lactário, aumento do número de leitos, duas enfermarias com aproximadamente 11 leitos, trauma infantil, dois isolamentos, sala de nebulização, emergência separada e espaço recreativo. Todas as salas serão decoradas com temas infantis para melhor acolhimento e ambientação.


A jovem Sabrina Martins, moradora de São José do Imbassaí, deu à luz ao pequeno Ayvan da maternidade do Conde. Sabrina é mãe também da Aylla, de 1 aninho, que nasceu em outro município da região. Ela comentou que, infelizmente, não teve uma boa experiência no primeiro parto e em Maricá foram tratados muito bem por toda equipe. “Sobre a maternidade de Maricá eu amei. O enfermeiro obstetra que fez meu parto foi atencioso, conversou muito comigo e ficou ao meu lado o tempo todo. Meu parto foi ótimo e o pós-parto também, eu não tenho o que reclamar. Os pediatras e as enfermeiras foram ótimas também, cuidaram bem do meu filho, me explicaram tudo direitinho.E também amei a psicóloga da maternidade. Me trataram como princesa, lá estava melhor do que hospital particular”, comentou a mãe. O Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD) – o Melhor em Casa –, é outro setor fundamental, que viabiliza a desospitalização , proporcionando plano de cuidado terapêutico contando com atendimento: médico, enfermagem, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, assistente social e dentista. Fernando dos Santos Oliveira, de 42 anos, morador da Colina, é um dos pacientes que recebem o atendimento da equipe multidisciplinar em sua casa. O paciente foi atendido no Hospital Conde Modesto Leal devido a queimaduras de segundo grau, que tomou 40% do seu corpo. Passou por avaliação do cirurgião plástico, comissão de curativos e depois foi direcionado para o SAD para o tratamento das feridas. “A Equipe do Melhor em Casa está fazendo um ótimo trabalho, para a glória de Deus. Eu só tenho a agradecer a atenção e carinho de todos. Recebo cuidados para os curativos, fisioterapia, nutrição e fonoaudiologia. Mesmo com chuva eles estão aqui. Agradeço também aos profissionais do Hospital Conde Modesto Leal, do médico ao faxineiro. Fiquei no trauma durante 10 dias e pós-cirúrgico oito”, lembrou o pedreiro, que sofreu acidente de trabalho no mês de maio.


História do Conde - Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Hospital está instalado no edifício onde era a casa do Conde João Leopoldo Modesto Leal, que foi um banqueiro, comerciante, empresário e senador da República. O Hospital recebeu seu nome anos depois. O historiador da cidade de Maricá, Cesar Brum, autor do livro “Conhecendo a história de Maricá” comentou que a inauguração da unidade teria acontecido entre os dias 7 e 8 de dezembro. “A criação do hospital veio junto com a explosão da fazendo Bom Jardim, dois dias após a inauguração”, completou.


Texto e Fotos: Ayra Rosa (Assessoria de Comunicação da Associação Mahatma Gandhi - Maricá-RJ) e Ana Paula Soares ( Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde de Maricá-RJ).

Revisão e Edição: Antonio Jayme (Assessoria de Comunicação - Matriz - Catanduva-SP)

Recentes
  • Facebook Social Icon

© Copyright Associação Mahatma Gandhi 2016 - Todos os direitos reservados