Profissionais falam sobre os desafios da pandemia em Maricá-RJ


O período de pandemia tem sido desafiador para todos os profissionais de saúde e não está sendo diferente para os assistentes sociais do Hospital Municipal Conde Modesto Leal e Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Inoã, unidades de saúde geridas pela Associação Mahatma Gandhi, na cidade de Maricá-RJ. A rotina e procedimentos nas unidades foram alterados por diversas vezes e o serviço social foi se adaptando, elaborando ações e estratégias para atender a familiares e pacientes. O mês de maio, também foi marcado por celebração pelo dia desses profissionais.

Os atendimentos das equipes aumentaram muito neste período, se comparado com a época antes da pandemia. Acesso a visitas e acompanhantes foram reduzidos e até chegaram a ser suspensos, o que causa descontentamento para famílias, mas também segurança para todos. Então, assim como toda a saúde precisou se adaptar, o serviço social também teve a necessidade, e ainda na missão de lidar com o público, que alguma das vezes precisam de mais atenção e esclarecimentos", comentou a diretora da Associação Mahatma Gandhi - Complexo Maricá, Larissa Cordeiro.

No Conde, em dezembro de 2019, a assistência social realizou 779 atendimentos na unidade. Já em março de 2020, quando iniciaram as restrições devido a Covid-19, aumentou para 852. Já neste ano, em abril, foram 1088 atendimentos para pacientes em geral e internados com o coronavírus. Entre as ações para garantir direitos e amenizar a angústia e preocupação tanto de familiares como de pacientes, o setor elaborou o projeto "Visita Virtual", onde realizam videochamadas com o objetivo de aproximar o paciente e o familiar durante seu período de internação. O projeto foi implementado em 2020 realizando videochamadas com pacientes internados no setor de covid-19. “Entre nossas funções está a mediação entre familiares/médico, paciente /médico garantindo que tenham acesso aos serviços e sempre da melhor forma possível e humanizada. Esse ano durante as visitas suspensas realizamos juntamente com a equipe de psicologia e humanização em toda a unidade hospitalar. Atualmente nossa equipe é composta por oito assistentes sociais plantonistas 24h, uma coordenadora e contamos também com a gerente multidisciplinar e uma auxiliar administrativa”, explicou a assistente social Eliane Gonçalves, gerente multidisciplinar do Hospital Municipal Conde Modesto Leal.

Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Inoã, o setor contabilizou 299 atendimentos a pacientes internados com coronavírus em 2020, e em 2021, até o início de maio, 292. O setor de assistência social da unidade atenta que houve maior proximidade em relação ao contato com o paciente e aos familiares, mesmo com toda restrição da Covid. “Durante todo esse tempo tivemos um aumento na demanda com um números bem expressivos em relação ao coronavírus. Isso modificou e aumentou o serviço do profissional assistente social dentro da UPA de Inoã, as famílias precisam de muita orientação e os pacientes também. Nós também como profissionais de saúde temos que ser olhados como seres humanos, temos família e estamos na linha de frente correndo riscos”, comentou a assistente social da UPA de Inoã, Nelma Perez.


Texto e fotos: Ayra Rosa

Assessoria de Comunicação

da Associação Mahatma Gandhi

Maricá-RJ

Edição: Antonio Jayme

Assessoria de Comunicação

Matriz – Catanduva-SP



Recentes